Aprender novas atividades estimula o cérebro

Assim como o corpo, o cérebro também precisa ser exercitado, pois no decorrer dos anos a sua capacidade vai diminuindo, o que pode causar o comprometimento da memória. Ou seja, quanto mais velhos ficamos, maior é a perda de neurônios que a região sofre. Portanto, a recomendação para evitar essas falhas ou lapsos de memórias é prevenir, sempre buscando novas atividades para estimular o funcionamento do cérebro.

Aprender novas atividades estimula os neurônios a realizarem novas conexões. Essas tarefas servem como um desafio para que o cérebro gaste energia para encontrar uma nova possibilidade ou maneira de executar a tarefa, fazendo com que a mente fique mais saudável. Outro benefício é que pelo fato de aumentar o fortalecimento das conexões cerebrais, evita o acometimento de doenças como Alzheimer, demência e Parkinson.

Os novos estímulos aumentam ainda a agilidade, a concentração e a coordenação motora do idoso, isso faz com que ele tenha a capacidade de aprendizado semelhante à de um jovem. Porém, vale deixar claro que a velocidade do processamento de dados em quem já passou dos 60 anos é diferenciada de quem ainda está no auge da juventude porque o “espaço nobre”, local onde ficam armazenadas as informações, encontra-se com a capacidade mais cheia do que de um jovem que têm esse espaço praticamente vazio.

Para estimular o seu cérebro, faça tarefas que não está acostumada a realizar, por exemplo, se você costuma relaxar com uma boa leitura, procure aprender um instrumento musical ou aprender a dançar um estilo diferente. Faça cursos em áreas que não está habituada, como pintura, artesanato, corte e costura, entre outros. Essas são maneiras de melhorar as habilidades e aumentar a capacidade cerebral e a memória.

Via: Aproveitando a Terceira Idade

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

familia_idosoSaude